Amar é para os fortes – novo álbum visual de D2

Lançado no dia 30 de agosto, de 2018, “Amar é para os fortes” é o 10º disco de Marcelo D2, e o  seu primeiro longa metragem. A obra conta com 10 faixas e participações incríveis como Alice Caymmi, Ana Majison, Danilo Caymmi, Gilberto Gil, Rincon Sapiência, Seu Jorge, Marcelo Jeneci, Rodrigo Amarante, Wilson das Neves e outros artistas. O novo projeto tem 32 minutos de duração e foi escrito, dirigido, arranjado e roteirizado pelo próprio D2.

Confira a sinopse do filme abaixo, que está disponível no site do filme:

Quase que autobiográfico, o filme é uma crônica sonora da realidade carioca. Violência, drogas, amigos e inimigos, família, arte, esperança, amor. Stephan Peixoto (Sain), filho mais velho de D2, é Sinistro, protagonista ao lado de Beatriz Alves (Chloë) e Lorran Saga (Maytor). Sem diálogos, a história segue o ritmo de oito das dez faixas do álbum – homônimo ao filme. Com produção de Mario Caldato Jr e participações de Alice Caymmi, Anna Majidson, Danilo Caymmi, Gilberto Gil, Rincon Sapiência, Seu Jorge e Wilson das Neves, Amar é para os Fortes é o décimo disco da carreira de Marcelo D2. O filme é uma produção Pupila Dilatada – produtora de Marcelo D2, em co-produção com a DABBA e conta com apoio das empresas Pernod Ricard, AMBEV, Nike, Grupo Petrópolis, Casio e Na Moral Produções.

Em uma entrevista para o Estadão, D2 conta que a ideia de fazer um álbum visual existe tem tempo,  desde o lançamento do seu último álbum “Nada Pode Me Parar”, de 2013. Onde o artista lançou 16 clipes em sequência, e se questionou, por que não fazer um filme só, com toda a história de um álbum sequencial, ao invés de apenas vários vídeos separados? Assim, além do longa metragem, cada vídeo ganhou um videoclipe.

“Foi um processo criativo longo. É a história de um cara que nasce numa favela, num lugar superviolento, e acha que pode mudar o mundo por intermédio da arte e da cultura. Só que aquele ambiente atrapalha seus planos. Primeiro, eu escrevi o roteiro e só depois pensei nas músicas que iam narrar a história do Sinistro. Sintetizei tudo e passei a compor de uma forma que fizesse sentido dentro do contexto do longa”, conta D2.

Aqueles que atuaram no filme não são atores renomados, com formação em artes cênicas ou premiações, mas sim pessoas comuns, que se encaixam na história do personagem, e contaram com a ajuda para preparação da atriz Ju Garavatti, e ele conta ainda que Sain, seu filho mais velho, não foi a primeira opção como ator principal, mas conforme a produção foi acontecendo, ele percebeu as inúmeras semelhanças entre o Sinistro, personagem principal, e seu filho. 

“No início, eu não pensei no Stephan, não. Depois, por se tratar de uma história quase que biográfica, lembrei que ele tinha características muito próximas do personagem principal do Amar É Para os Fortes. Ele matou a pau”, diz D2.

Com referências incríveis em algumas cenas marcantes de obras como Wild Style, Faça a Coisa Certa, Cidade de Deus, Rockers, O ódio e Kids, ele faz uma brincadeira dizendo que está  “sampleando cinema”. Marcelo comprova novamente sua constante evolução, trazendo para o público um trabalho híbrido, onde o mesmo funciona como álbum, com faixas separadas, mas também como filme, contando uma história só, começo, meio e fim.

“Eles falam em livre arbítrio, mas eu nunca tive escolha
Nunca me mostraram um caminho ou me deram apoio
Amor eu tive pouco, mas foi nesse pouco amor que eu me agarrei
E aí eu mudei o jogo a meu favor
Puxar o gatilho ou não, é isso que é liberdade?
Definitivamente, Amar é Para Os Forte

Assista o trailer abaixo:

Assista o filme completo, clicando aqui.


O filme e trilha sonora já estão disponíveis em todas as plataformas digitais, apreciem sem moderação a arte e os nossos excepcionais artistas brasileiros.